Problema atinge 3% da população brasileira.

A Fibromialgia é uma síndrome comum, é quando a pessoa sente muitas dores por um longo período de tempo. Há uma sensibilidade nas articulações, nos músculos, tendões e outros tecidos moles. A doença está diretamente ligada à fadiga, distúrbios do sono, dores de cabeça, depressão e ansiedade.

Há três anos o Colégio Americano de Reumatologia definiu quais os critérios que definem esse problema crônico. No Brasil a Fibromialgia atinge 3% da população.  Durante anos os médicos tinham que apalpar pontos do corpo doloridos para detectar a doença. Hoje isso não é necessário, pois existem outras formas como:

Dor difusa em cinco a sete partes do corpo por mais de três meses
Cansaço crônico
 Problemas de memória e concentração
Insônia e sono não reparador
Diarreia ou prisão de ventre frequentes
Vontade constante de urinar
Suor em excesso
Sensibilidade ao frio

Doença que impediu Lady Gaga de vir ao Rock in Rio 2017. 

As causas da Fibromialgia:

As causas ainda são desconhecidas, mas existem fatores que são ligados á síndrome, como:

Genética: a fibromialgia é recorrente em familiares, podendo ser um indicador de quem existem mutações genéticas que são capazes de causar a doença;

As infecções por vírus ou doenças autoimunes podem estar envolvidas nas causas da síndrome;

Distúrbios do sono, sedentarismo, ansiedade e depressão, podem estar ligados à fibromialgia.

Existem alguns fatores que geram mais riscos, por exemplo, a doença é mais comum em mulheres do que em homens, numa faixa etária de 20 a 50 anos.

É importante ressaltar que a pessoa quando diagnosticada com fibromialgia, deve aliar exercícios físicos, uma dieta balanceada, controle com medicamentos, ajuda psicológica e fisioterápica. Essas modalidades aliadas com a qualidade de vida fará toda diferença no tratamento e na vida da pessoa.

Deixe uma resposta